“Contenham esse avanço... Façam qualquer coisa, por menor que seja... Mantenham aberta ainda que seja uma só porta dentre cem, pois conquanto que tenhamos pelo menos uma porta aberta, não estaremos numa prisão.”
(G.K.C)

terça-feira, 1 de janeiro de 2008

Auto-estima?

Nunca se escreveu tanto sobre a auto-estima como nos nossos dias. Nas prateleiras das livrarias encontramos, por toda parte, esse tipo de literatura. Vários autores pretendem nos mostrar como ficar bem consigo mesmo, como ser feliz aprendendo a amar a si mesmo, como se valorizar e, assim, encontrar a felicidade.

Infelizmente, a maioria das pessoas que lêem esse tipo de livro estão ocupadas demais tentando praticar as regras contidas nas páginas dele ou estão muito ansiosas por achar que ali está a solução de seus problemas. Desta maneira, não conseguem ler um livro criticamente. Lembre-se que criticar, neste caso, não é discordar, mas avaliar.

Podemos afirmar que se a VERDADE voltasse a ser o critério primário dos escritores, muito menos livros seriam escritos, publicados e lidos. Utilizando-se das palavras de Mortimer Adler:

"Livros têm ganhado o aplauso da crítica e uma extraordinária atenção popular na mesma proporção em que eles faltam com a verdade - quanto mais eles o fazem, melhor. Muitos leitores, e muito particularmente aqueles que escrevem resenhas na imprensa, empregam outros padrões de julgamento para exaltar ou condenar os livros que lêem - a novidade, o sensacionalismo, a sedução, a força e até mesmo o poder de confundir ou desorientar a mente, no lugar da verdade, da clareza e do poder de esclarecimento."
O egocentrismo é um fenômeno mundial da experiência humana, é algo evidente na grande variedade de palavras em nossa língua composta com "auto": auto-estima, auto-afirmação, autoconfiança, auto-elogio, auto-idolatria, auto-aceitação, etc.

Mas será que nós deixamos de nos amar e por isso estamos sofrendo as consequências da depressão, da angústia, do pessimismo e da auto-depreciação?

A verdade é que a pessoa que diz "Eu sou tão feia que eu me odeio!", não se odeia de verdade, pois caso odiasse, estaria feliz por ser feia. É porque ama a si mesma que fica perturbada com sua aparência e com a maneira pela qual as outras pessoas reagem a ela. (Dave Hunt)

A pessoa que está constantemente se depreciando não se odeia de fato, nem tem uma auto-estima inferior; está apenas informando aos outros que seu desempenho não está de acordo com os padrões que estabeleceu para si mesma.

"A vanglória é prova de que estamos satisfeitos com nosso ego; a auto-depreciação é prova de que estamos desapontados com ele. De qualquer um dos dois modos, revelamos que temos uma opinião muito positiva a nosso respeito." (A. W. Tozer)
A vida, ao ser provada, torna-se viciante. O impulso de preservá-la é mais forte do que o juízo de que ela não merece continuar. O suicídio deve ser pelo método mais rápido e menos doloroso, pois, neste ato, você está acabando com algo que sempre foi valioso pra você.

A Bíblia, nunca nos dá tal conselho de amarmos a nós próprios. Na verdade, Deus sabe que isso já nos é intrínseco. É por isso que Jesus nos diz "Amai ao próximo como a si mesmo" sem precisar nos ensinar como devemos nos amar. Em Efésios 5.29, Paulo nos diz a verdade universal que, se fôssemos honestos, deveríamos reconhecer: "Porque ninguém jamais odiou sua própria carne, antes a alimenta e dela cuida..."

O que realmente precisamos é abandonar qualquer preocupação com o ego e nos voltar para Cristo. Deus nos redimiu, não por causa do que somos, mas por causa de Cristo. A verdadeira liberdade é a liberdade de mim mesmo e das presas da tirania do meu ego, a fim de viver em amor dedicado a Deus e aos outros.

Apenas no amor altruísta encontramos a existência autênticamente livre e humana. (Stott)
Um abraço.

Um comentário:

Sueli disse...

Oi Agnon
Gostei muito do artigo.
Excelente. Recentemente na igreja, eu e uma amiga, tivemos uma idéia para ajudar na área de evangelismo. Pensamos em fazer um tiragem, do tipo News Letter, com um artigo na frente e o mapa da Igreja atrás, sem falar de denominação, apenas convidando pessoas para conhecer mais sobre Jesus, com horários e endereços. A idéia é que os artigos criassem sede (por Jesus) e levassem as pessoas a quererem conhecê-lO mais. Bem, fiz um artigo, cujo tema pela demora que houve na elaboração do desenho teve que ficar para 2008, provavelmente em setembro. Mas, precisamos de bons artigos e de repente, vc poderia ser um colaborador. A igreja fica próxima a duas grandes universidades em Campinas, Unicamp e PUCC e queremos atingir as imediações.
Então, se tiver disposição e interesse nos avise.
Nossos e-mails:
sueli@hc.unicamp.br
rutzkaya@gmail.com