“Contenham esse avanço... Façam qualquer coisa, por menor que seja... Mantenham aberta ainda que seja uma só porta dentre cem, pois conquanto que tenhamos pelo menos uma porta aberta, não estaremos numa prisão.”
(G.K.C)

terça-feira, 5 de agosto de 2008

A falácia do tempo



Existe uma idéia falaciosa, que toma conta dos adeptos do evolucionismo. Para eles, o tempo resolve quaisquer questionamentos a respeito da teoria. Se determinada explicação do desenvolvimento e transformação de um ser não pode ser vista, insere-se a variável “tempo” e tudo fica resolvido: “Não vemos essa transformação, porque ela se desenvolve em bilhões de anos”. Se as condições atuais não são favoráveis para que ocorra determinada transformação, novamente o “tempo” vem calar essas indagações: “Há milhões de anos, as condições eram favoráveis”. Isso tudo se diz com a convicção de quem esteve presente em cada segundo desses períodos. Na verdade, atribuem ao tempo o que os cristãos atribuem a Deus, como se a velocidade amenizasse a idéia de impossibilidade dos acontecimentos. Ora, não interessa se esses acontecimentos ocorrem num piscar de olhos, como acreditamos ser possível, nos milagres de Deus, ou se em bilhões de anos, pois em ambos temos que acreditar num agente que não podemos verificar empiricamente, isto é, ambos exigem fé. De outra forma, como os evolucionistas poderiam acreditar na evolução se não tivesse fé de que "a formação inicial de organismos desconhecidos a partir de produtos químicos desconhecidos, numa atmosfera ou oceano de composição desconhecida, sob condições desconhecidas, cujos organismos subiram então uma escada evolucionista desconhecida, mediante um processo desconhecido, deixando uma evidência desconhecida", fosse responsável por toda a vida que temos hoje no planeta?

Chesterton, com sua perspicácia de sempre, nos diz:

A palavra “evolução” parece ter certa tendência a substituir “explicação”... A noção de suavidade, de consolador, de gradativo e lento constitui uma grande parte da enorme ilusão. Digamos que se trata tanto de uma ilusão como de um absurdo.

A lentidão nada tem que ver nesta questão. Um fato não é mais ou menos inteligível, segundo a velocidade em que se executa. Para um homem que não acredita em milagres, um milagre lento será tão incrível quanto um outro imediato, fulminante. A feiticeira grega pôde transformar os marinheiros em porcos ao simples contato com sua varinha mágica. Porém, ver um marinheiro desses, nosso amigo, convertendo-se, paulatinamente, em porco, não seria, de certo, muito mais tranqüilizador.

Não obstante, o materialismo histórico parece não poder despregar-se desse erro que consiste em acreditar que uma dificuldade fica iludida explicando-a por meio de um lento decorrer do tempo. A questão se apóia na falsa sensação de facilidade que se produz pela mera sugestão de ir devagar.

Não se pode considerar resolvido o problema substituindo a mudança rápida das coisas por uma transformação lenta...

9 comentários:

Nina disse...

ah Agnon , vc como sempre extrapola né? .Atualmente estão ocorrendo sim transformações no padrão de evolução de muitos animais .O fato de VC não saber não quer dizer que não existam .Só um exemplo : alguns grupamentos humanos (não podemos mais chamar de "raça" ) , como os eslavos estão desenvolvendo forte intolerância à lactose por mutação de um gene produtor de uma enzima chamada renina. Isso é evolução ,meu caro .Pros leigos evolução pressupõe uma melhora mas não é bem assim , na verdade é aleatório .As crianças eslavas não podem ser amamentadas por muito tempo ou até por tempo algum .Saiu algo sobre isso na Scientific American .Seria bom vc ler antes de ficar esperando por quimeras meio homem meio macaco rsrs .

Nina disse...

“Não vemos essa transformação, porque ela se desenvolve em bilhões de anos”. Se as condições atuais não são favoráveis para que ocorra determinada transformação, novamente o “tempo” vem calar essas indagações: “Há milhões de anos, as condições eram favoráveis”.

Que fonte é essa ? Estudante do terceiro ano ? Nenhum cientista diria isso .Qualquer condição é favorável para a ação da seleção e não apenas a condição de milhões de anos.As pessoas tentar tratar esse assunto de modo muito simplista e acabam elas mesmas criando falácias , como essa "do tempo " que vc falou .Assim como vc cita Chesterton com tanta regularidade ,seria interessante citar as fontes de onde vc tira as informações "científicas " .

Agnon Fabiano disse...

Não fiz citações na postagem, porque não há o que citar. As afirmações que lá inseri entre aspas e em itálico são afirmações que podemos achar em quase todos os livros sobre evolução. Mas, vejamos o que tenho a dizer sobre sua oposição à minha postagem:

Com o “estica-e-puxa” do conceito de evolução, os evolucionistas podem usar qualquer exemplo de mudança como evolução. Aliás, dizer que “Pros leigos evolução pressupõe uma melhora, mas não é bem assim, na verdade é aleatório”, não me diz nada, pois “melhoria” e “aleatoriedade” não são conceitos excludentes. Posso ter tanto algo melhorando ou piorando aleatoriamente, quanto melhorando ou piorando intencionalmente.

Mas voltemos... Evolução, da maneira em que estão aplicando, pode significar qualquer coisa, desde a declaração não controversa de que uma bactéria “desenvolve” resistência aos antibióticos à grande afirmação metafísica de que o universo e a humanidade “evoluíram” inteiramente por forças mecânicas sem propósito. Uma palavra elástica assim pode induzir ao erro, entrelaçando o que sabemos da afirmação menos abrangente com o que NÃO sabemos da mais abrangente, dando a entender que o que afirmamos para o conceito mais restrito solidifica a teoria do conceito mais global.

Um dos grandes evolucionistas, Dobzhansky enfatizou que “a evolução abrange todos os estágios do desenvolvimento do Universo: cósmico, biológico, humano ou cultural. Tentativas de restringir o conceito de evolução à biologia são gratuitas”. Pegue qualquer livro dos mais conhecidos autores evolucionistas como Paul Davies, Richard Dawkins, De Duve, Jay Gould, Daniel Dennet, etc, e veja que todos eles fazem esse joguete, o mesmíssimo joguete que você fez, de entrelaçar os conceitos abrangentes com o mais restrito e achar que está dando grandes provas de que a vida surgiu por seleção natural e acaso, como se a “intolerância à lactose” me dissesse muita coisa sobre, por exemplo, a formação do estômago humano. Pior ainda é dizer que qualquer mudança é evolução. Mudar não é evoluir. Simples mudança não é progresso. Novamente caímos na mesma falácia que falei acima, a falácia dos conceitos abrangentes e restritos. Inclusive, sua afirmação de que “evolução” não é necessariamente melhoria é um pouco equivocada.

Aproveitando os mesmos livros dos mesmos autores que citei acima, observe que todos eles têm alguma desculpa para a falta de mutações que causaram melhoria. Se isso não fosse importante para a teoria, ele não gastariam tempo tentando se explicar. Se “evolução” não fosse melhoria, Gouldshimith não teria passado 50 anos de sua vida cruzando moscas drosófilas para, através de mutação, obter uma melhora (o que não acontecu sequer uma vez), nem o Daniel Dennett precisaria fraudar um documentário em que uma dessas moscas, depois de 50 anos de cruzamentos, resultou em uma melhora (depois descobriu-se a fraude de que a mosca não mexia as asas).

Em relação às condições favoráveis, “nenhum cientista diria isso”? Novamente o “estica-e-puxa” do conceito de evolução. É só pegar qualquer autor evolucionista que você verá como é tratado o surgimento da vida. Condições favoráveis pra lá, condições favoráveis pra cá. Leia “O Quinto Milagre”, de Paul Davies, que talvez seja o mais respeitado evolucionista da atualidade. É inevitável. Toda e qualquer teoria que se apóie em um passado distante tem que especular sobre as condições naturais e sociais da época. Vou dar um exemplo do Dawkins, que é o escritor evolucionista mais acessível atualmente. Algumas reivindicações de “condições favoráveis” no livro “O gene egoísta”:

Os corpos vivos são máquinas programadas por genes que sobreviveram. E esses sobreviveram sob condições que tenderam, em média, a caracterizar o ambiente da espécie no passado.”

“Assim que o caldo primordial ofereceu condições nas quais as moléculas podiam fazer cópias de si mesmas, os próprios replicadores passaram a dominar”

“Mais recentemente, simulações em laboratório das condições químicas existentes na Terra antes do surgimento da vida têm produzido substâncias orgânicas chamadas purinas e pirimidinas.”


Tentando explicar o altruísmo, em “Deus, um Delírio”, ele fala: “Pela maior parte de nossa pré-história, os seres humanos viveram sob condições que teriam favorecido fortemente a evolução de todos os quatro tipos de altruísmo” (note, sempre a reivindicação de condições favoráveis).

Pequeníssimos exemplos, que poderíamos retirar de qualquer outro autor que defenda a evolução.

PS: Quem é "nina"? rs

Nina disse...

"Evolução, da maneira em que estão aplicando, pode significar qualquer coisa, desde a declaração não controversa de que uma bactéria “desenvolve” resistência aos antibióticos à grande afirmação metafísica de que o universo e a humanidade “evoluíram” inteiramente por forças mecânicas sem propósito." Você é o pesadelo de qualquer professor de biologia rsrs . Não entende nem os conceitos básicos .Bactéria não desenvolve resistência ao antibiótico.Essa é uma idéia Lamarckista .Darwin nunca fez afirmação metafísica sobre nada .Richard Dawkins é um filósofo ,escreve bobagem como muita gente que tb se diz "evolucionista" . O "estica e puxa " dos conceitos de evolução existem por pura ignorância .
" Se “evolução” não fosse melhoria, Gouldshimith não teria passado 50 anos de sua vida cruzando moscas drosófilas para, através de mutação, obter uma melhora (o que não acontecu sequer uma vez" Santo Deus ! Mutação é um processo aleatório(ocorre ao acaso) , não vai ocorrer porque alguém quer ou porque alguém merece só porque passou 50 anos da vida tentando!!

Dobzhansky grande evolucionista?rsrsrsrs . Qualquer pessoa que tente dar à ciência uma capa metafísica pra mim não passa de um tolo, um charlatão ,como tantos que existem hoje .Um exemplo dessa gentalha é aquela mulher que tá ganhando milhões com o livro "O Segredo " que mistura filosofia ,religião e MECÂNICA QUÂNTICA .E as pessoas amam isso !!!! ."Tentativas de restringir o conceito de evolução à biologia são gratuitas" Se ele acha isso , passou longe de Darwin .Este tb nunca ousou falar sobre isso.

Sobre intolerância à lactose e sobre outros numerosos exemplos tô vendo que nem adianta falar .Tudo pra vc é falácia ,até o que se observa claramente .

Nina disse...

nina sou eu ,oras .rsrs

Agnon Fabiano disse...

"Você é o pesadelo de qualquer professor de biologia rsrs. Não entende nem os conceitos básicos".

Estou acostumado com esse tipo de argumento de evolucionistas. Eles não contrapõem as idéias, mas atacam a pessoa, e não as proposições. E já que você gosta quando falo de falácias, na lógica esse tipo de ataque é uma falácia que se chama argumentum ad hominem... rs

Bactéria não desenvolve resistência ao antibiótico. Essa é uma idéia Lamarckista.
Aristóteles já dizia que não é preciso conhecer a lógica para se utilizar dos sofismas. Na minha postagem a palavra "desenvolve" está entre aspas. Tenho certeza que você sabe o que isso significa.

Richard Dawkins é um filósofo, escreve bobagem como muita gente que tb se diz "evolucionista" . O "estica e puxa " dos conceitos de evolução existem por pura ignorância.

Quando falei das “condições favoráveis” você disse que “nenhum cientista diria isso” ! Então dou exemplos de Dawkins e aí a solução é dizer que ele escreve bobagem (no que eu até concordo, em parte), assim como fez também com Dobzhansky (Clique no nome, para você não falar mais bobagem a respeito dos que você não conhece). Será que faria o mesmo com todos os que eu citasse? Paul Davies? Stephen Jay Gould? Pennock? Francis Crick? Sagan? Dennett? Lewontin? Steven Pinker? Caso sim, fico curioso e gostaria de saber quais são os seus escritores evolucionistas preferidos.

Santo Deus ! Mutação é um processo aleatório(ocorre ao acaso) , não vai ocorrer porque alguém quer ou porque alguém merece só porque passou 50 anos da vida tentando!!

Ah, desculpa, é que pensei que não precisaria explicar a você, defensora da teoria da evolução, como se davam as conhecidas experiências de Gouldshmith (inclusive bem desenvolvidas pelo “leigo” Dobzhansky), as quais eram justamente cruzando moscas mutantes (mutação em laboratório).

Qualquer pessoa que tente dar à ciência uma capa metafísica pra mim não passa de um tolo, um charlatão ,como tantos que existem hoje .

Você sabe o que é metafísica?!!!
Você pode me dizer como falar das origens sem metafísica?!!!
Você pode me falar um pouquinho, sem metafísica, sobre como surgiu a consciência?
Como surgiu o pensamento? A racionalidade?
Você acha que Teoria da Evolução = Biologia? Por favor, imploro, dê-me somente o nome de UM defensor dessa teoria que pense como você.
Senhorita, o problema é bem maior do que você está enxergando. Você está muito perto para vê-lo por completo. Dê cem passos para trás e veja-o. É um gigante!

PS: Por favor, da próxima vez, sem respostas vazias, ok?

Tiny dancer disse...

ah, obrigada pelo elogio do meu texto :)
e falando em texto, tem um novo lá, que tb fala sobre o tempo, mas em outro sentido..
;*

Tiny dancer disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Tiny dancer disse...

obrigada novamente :)
concordo com o teu ponto de vista sobre o meu texto.
o mesmo, tem uma historia sabe, comecei a escrever umas 3 ou 4 semanas passadas, e nao sabia como terminar, até que um fato me ocorreu, e diante disso consegui terminar.
eu realmente acho que a busca da felicidade nos torna chatos e cegos.. pra mim a felicidade está nas pequenas coisas, nos pequenos detalhes, são momentos efêmeros.
li o texto do link que você me mandou, e gostei :)
as pessoas acham que matrimônio, filhos, casa bonita resultam em uma vida basicamente estavel e por vez vem a felicidade.. bom cada um interprete felicidade como quiser, mas pra mim , eu acho que não preciso de filhos ou casamento pra ser feliz.posso ser feliz falando com amigos, tomando sorvete, ou até escrevendo.

acho que meus textos tem "um "quê" de naturalidade, sinceridade"porque acontecem comigo, escrevo basicamente as minhas experiencias, as minhas dúvidas...
gosto tb da forma que vc escreve, vc nao precisa de linguagem rebuscada ou coisa so tipo para expressar o que quer, é direto ao ponto, não fica fantasiando as palavras.
:) um beijo ;*