“Contenham esse avanço... Façam qualquer coisa, por menor que seja... Mantenham aberta ainda que seja uma só porta dentre cem, pois conquanto que tenhamos pelo menos uma porta aberta, não estaremos numa prisão.”
(G.K.C)

terça-feira, 20 de maio de 2008

A (in)segurança da Teoria Evolutiva


A figura ao lado representa uma notação da Lógica Simbólica e, usando "Mx" para representar "x é material", podemos lê-la como:

Para todo x, x é material.

Essa é a equação sagrada dos evolucionistas.
No post anterior, fiz uma pequena citação de Richard Lewontin (geneticista de Havard), que a usarei de forma mais completa para exemplificar como os darwinistas usam essa equação:
Não é que os métodos e as instituições da Ciência, de algum modo, nos forcem a aceitar uma explicação material do mundo fenomenal, mas, ao contrário, é que nós somos forçados por nossa aderência a priori às causas materiais a criar um aparato de investigação e um conjunto de conceitos que produzam explicações materiais, não importa o quanto contra-intuitivo seja, ou o quanto desorientador seja para o não-iniciado. Além do mais, por ser materialismo absoluto, não podemosa permitir um Pé Divino na porta. O eminente estudioso de Kant, Lewis Beck costumava dizer que alguém que pode acreditar em Deus, pode acreditar em qualquer coisa. Apelar para uma divindade onipotente é permitir que a qualquer momento as regularidades da natureza possam sofrer uma ruptura, que milagres podem acontecer.
Em outras palavras, a evolução não é um fato, mas sim uma filosofia. O materialismo vem primeiro (a priori) e a evidência é interpretada à luz desse compromisso filosófico inalterável. Se a evidência parece ir contra a tal filosofia, tanto pior para a evidência. Para um materialista, tolerar qualquer quantidade de práticas defeituosas na ciência é melhor do que permitir um Pé Divino na porta.

Arraigados a preconceitos e não podendo ultrapassar as barreiras de sua filosofia, os cientistas evolucionistas tornam-se desonestos e insensatos. Ironizam e descredibilizam histórias sobrenaturais que tem algum fundamento e vêm contar histórias naturais que não tem fundamento algum. Riem da fé, mas crêem profundamente, apesar de nunca tererem presenciado, que o homem veio de seres inferiores e que o cérebro é produto de reações químicas. A evolução sempre tem uma resposta simples para tudo, seja na antropologia, na sociologia, na filosofia, na neurociência, em todas as áreas sempre encontraremos livros dispostos a explicar como é simples, através da evolução, existir tudo o que hoje existe.

Desta maneira, apoiados em uma teoria tão frágil, precisam ser duros com quem quer que duvide dela, zombam e fazem pouco dos que percebem esse teatro. Sentem-se ofendidos se questionados. Assim foi, por exemplo, com Richard Dawkins, quando, em sua casa, recebeu uma entrevistadora que o perguntou se ele poderia dar um exemplo de mutação genética ou processo evolutivo que poderia ser visto como aumento de informação no genoma. Dawkins pensou durante onze segundos e não conseguiu achar nenhum.
Depois, Dawkins fez uma declaração do ocorrido da seguinte maneira:
A suspeita aumentou muito quando fui desafiado a apresentar um exemplo de um processo evolutivo que aumente o conteúdo de informação do genoma. É uma pergunta que ninguém, exceto um criacionista, faria. (...) Só seria formulado dessa forma por alguém que duvida que tenha acontecido a evolução.
Dawkins só está disposto a falar com pessoas que concordem em aceitar a teoria da evolução.
Uma verdadeira ciência não põe barreiras para evitar que se façam perguntas relevantes. Não se pode chegar a um ponto tão "não-científico" do que isso, pois na verdadeira ciência, uma busca de evidências é sempre recomendada.

Um comentário:

rubenita disse...

"aceitar tudo é um exercício, entender tudo é uma tensão." Chesterton

bjo prô cê!