“Contenham esse avanço... Façam qualquer coisa, por menor que seja... Mantenham aberta ainda que seja uma só porta dentre cem, pois conquanto que tenhamos pelo menos uma porta aberta, não estaremos numa prisão.”
(G.K.C)

quinta-feira, 26 de junho de 2008

A força da simplicidade


As coisas simples sempre me impressionam. Não aquelas de uma simplicidade engendrada e planejada, mas aquelas que são naturalmente simples. Uma frase sem a preocupação excessiva do que se quer falar, um gesto sem intenções próprias, um modo de se apresentar despreocupado de impresionar. Sinto uma alegria singela inexplicável, uma leveza, chego a flutuar. Ao contrário da força e dureza, por exemplo, da lógica, que nos ajuda a não errar nos argumentos, a simplicidade me chega como uma poesia, que nem sequer preciso esforçar-me para recitá-la corretamente quanto ao ritmo, a rima ou às sílabas fortes, e que me dá mais segurança do que a prórpia lógica para não errar. Sinto-me mais seguro com uma boa similitude do que com um silogismo perfeito. Num debate, prefiro recitar uma poesia do que usar um argumento formal e até acho que ela será mais difícil de ser refutada. Assim era com Chesterton; assim era com Lewis; assim era com Samuel Johnson. Não é deixar a emoção se sobrepor à razão, mas deixar que esta trabalhe em parceria com àquela. Esquecemos fácil o que o livro de filosofia nos diz, mas não esquecemos o que uma romance nos ensina sobre a filosofia. Esqueci o que o livro "Física Clássica" me ensinou, mas lembro de tudo do livro "Física Divertida". Depois de ler bastante sobre física quântica, só entendi do que se tratava quando li "Alice no País do Quantum".
Eis porque, há tempos, sempre que vou ler algo como apologética, lógica, cosmologia e filosofia, leio-os concomitante com um conto de fadas, um romance ou um poeta. Isso me ajuda a equilibrar a enfadonha razão e a empolgante emoção. Ganho de ambos os lados, pois se a razão é forte e dura como uma pedra, porém ela afunda na água; e se a emoção é branda e frágil como um pássaro, no entanto ela voa e plana.

Um comentário:

Elis disse...

Estou adorando explorar o seu blog e ler textos de tão boa qualidade. Parabéns!!!! Espero, um dia, poder ler um livro escrito por vc...rs. Bjo.